Beatriz Braga

Judith, a irmã que Shakespeare nunca teve (por Beatriz Braga)

Não lembro da primeira vez em que ouvi o nome de Albert Einstein, porque, assim como uma grande lista de homens importantes, ele sempre esteve na minha vida. Recentemente, porém, ouvi pela primeira vez o nome de Mileva Einstein na série Genius, nova produção da Nat Geo. [caption id="attachment_13332" align="aligncenter" width="300"] Série Genius[/caption] Ele, um aluno desregrado com ideias brilhantes. Ela, a única mulher do curso de matemática da Escola Politécnica de Zurique e uma das mentes mais inteligentes dali. Conheceram-se, engravidaram, casaram-se. Ela largou os estudos para ser mãe. Ele criou a Teoria da Relatividade. Entre os choros de bebê e as noites em claro, Mileva revisava e trabalhava nas ideias do marido. Apesar de muitos estudos históricos (há também os que refutam essa ideia) apontarem sua participação como muito necessária para a Teoria, seu nome apareceu como coautora na primeira versão e depois foi esquecido. “Você não precisa…

Compartilhe

Cinco palestras que você vai gostar de assistir (por Beatriz Braga)

Hoje comecei o dia ouvindo, mais uma vez, a palestra de Shonda Rimes, produtora de séries de TV como Grey´s Anatomy e How to get away with murder, no TED (www.ted.com). Ela conta sobre o acordo que fez consigo mesma de, por um ano, dizer “sim” para todas as situações que a assustavam. “Para qualquer coisa que me deixasse nervosa, e me tirasse da minha zona de conforto, eu me forcei a dizer sim”. As consequências foram incríveis. Sempre quando ouso me desanimar diante de um começo de semana, vou atrás desses vídeos para resgatar o gás. O TED nunca me decepciona. Por isso, sempre deixo algumas das suas palestras baixadas no celular e, volta e meia, escuto essas vozes poderosas. Assim o dia ganha mais força. E eu também. Aqui seguem seis dicas de palestras inspiradoras de homens e mulheres que têm muito a dizer. Está sem tempo? Faz…

Compartilhe

“Tem mulher que gosta” (por Beatriz Braga)

Certa vez, um amigo propôs o seguinte argumento sobre o machismo cotidiano: “Tem mulher que gosta quando um cara a chama de gostosa na rua”. Ele mesmo tinha uma amiga que dizia sentir-se elogiada diante dessas coisas que eu chamava de assédio. Desanimei-me diante daquele argumento “infalível”. Eu não poderia levantar a bandeira do assédio, uma vez que nem todas as mulheres pensam como eu. Como explicar o que ser mulher há 27 anos me ensinou sobre mulheres? “Ninguém nasce mulher, torna-se mulher”. Simone de Beauvoir queria dizer, com essa frase, que a condição do gênero feminino no mundo não é completamente determinada por fatores biológicos. Aprendemos o que é ser mulher através do que nos é passado ao longo da vida. Não poderia concordar mais. Aprendemos a ser mulher quando, ainda novas, entendemos o sentido do “incômodo”. É a sensação de que há algo errado com o riso, com…

Compartilhe

Mulher-Maravilha e o mundo dos homens (por Beatriz Braga)

“Você é mais forte do que acredita. Você é mais poderosa do que imagina”, diz a treinadora da Mulher-Maravilha no novo filme da DC Comics. Na trama, mulheres vivem reclusas em uma ilha e a heroína é destinada a acabar com a guerra no “mundo dos homens”. É a primeira vez que a personagem ganha um filme desde a criação do seu quadrinho em 1941. Na ilha de Themyscira, mulheres massacram invasores e acham homens desnecessários para o prazer. Quando vai ao mundo “real”, Diana (alter ego da protagonista) é coberta com roupas sufocantes para não despertar desejos, é assediada nas ruas e constantemente subestimada por ser mulher. Diana é autoconfiante. Aprendeu a ser ao ver as mulheres ao seu redor lutando, sendo líderes e comandando uma nação. Quando ouve que é preciso achar o “cara certo” para salvar o mundo, prontamente (e ironicamente) responde que ela “é o cara”.…

Compartilhe

contato

Os campos acima em destaque são necessários