Rivaldo Neto

O mundo criativo do mercado cervejeiro (por Rivaldo Neto)

Todos os dias novidades invadem o efervescente mercado das cervejas caseiras, artesanais e importadas. Produtos que passaram a virar objetos de desejos dos cervejeiros de plantão. Indo de copos, abridores e até as chopeiras. Na realidade esse mercado paralelo foi ativado depois da invasão de novas cervejarias e novos tipos e estilos da bebida que surgem a cada dia. Até onde vai a criatividade desse mercado? Se é que podemos dizer que existe um limite para tal. Essa semana vou listar alguns produtos criativos e engraçados que fazem sucesso na internet. Vai do engraçado ao excêntrico, mas nesse mercado vale tudo, pois o importante é viver bem e ser feliz tomando sua cerveja favorita (ou as 10 mais). Pra encabeçar o primeiro produto vem de Cleveland, do estado de Ohio nos EUA. A empresa The Beerded Beard Co comercializa um óleo para barba com infusão de lúpulo. No site do…

Compartilhe

10 curiosidades do mundo cervejeiro (por Rivaldo Neto)

01- A primeira cerveja em lata da história foi a norte-americana Krueger’s, lançada em 1935 e precisava de uma abridor e latas para tomá-la. 02 – Enchente de cerveja? Sim! Em 17 de outubro 1814, quatrocentos mil galões de cerveja Porter romperam um tanque e destruíram um bairro pobre na periferia de Londres. Foi com a cervejaria The Horse Shoe. Tal tragédia matou 8 pessoas. 03 – Benjamin Franklin foi jornalista, editor, autor, filantropo, político, abolicionista, funcionário público, cientista, diplomata, enxadrista e por fim inventor do Pára-Raio. Mas também é autor da célebre frase: “A cerveja é a prova viva que Deus nos ama e nos quer ver felizes”. 04 - Que tal se especializar e ser uma zitólogo? O prefixo ”Zito” vem do latim “zythum” e do grego “zithos”. Significa bebida feita a partir da fermentação da cevada germinada, fabricada pelos antigos egípcios. Sendo assim, a zitologia é o…

Compartilhe

A vez das Dark Lagers (por Rivaldo Neto)

As cervejas de baixa fermentação tomam conta da maior fatia do mercado de cervejas do Brasil. São mais leves e refrescantes e com um teor alcoólico menor do que as de alta fermentação. Em sua maioria tem uma tonalidade mais clara que suas irmãs Ales, que tendem a ter uma cor mais avermelhada no geral. Cervejas de baixa fermentação são fermentadas em baixas temperaturas entre 6ºC e 12ºC com tempo de fermentação maior, com base em um processo inventado no século 19. São um pouco mais leves com graduação alcoólica geralmente entre 4% e 5%. As vezes fazemos alguma confusão em torno de termos e se confunde o que é Pilsen e o que é Lager. Uma das melhores definições didáticas que vi descreveu desta forma: Toda cerveja Pilsen é uma Lager, porém nem toda Lagers é uma Pilsen, isso porque a Lager é uma família e a Pilsen é…

Compartilhe

Cervejeira. Tenha uma pra chamar de sua (por Rivaldo Neto)

Com a expansão cada vez maior do mercado de cervejas artesanais, importadas e de produção para consumo próprio, muitos outros objetos se incorporaram nesse contexto, agregando valor e criatividade a esse, digamos, novo hobby. Isso pode vir caracterizado desde os growlers, crowlers, taças, copos, camisas, adesivos, chaveiros e por aí vai. Hoje, além de ser prazeroso juntar uma roda de amigos para degustar e a opinar sobre essa ou aquela cerveja, isso passou também a ser muito divertido. Mas o objeto de consumo dos cervejeiros que está no topo da lista de desejos é a tal sonhada cervejeira. O que é uma cervejeira? Como existe a adega climatizada para os vinhos, a cervejeira é a versão para, como o nome sugere, conservação e climatização de nossa santa cerveja de cada dia. E com alguns ganhos. Primeiro existem versões compactas e com várias cores e  você não precisa de tanto espaço para…

Compartilhe

Cerveja sem álcool? Por que não? (por Rivaldo Neto)

Vez por outra, em bate papos com alguns amigos donos de bar, eu indago como é a saída de cervejas sem álcool. O interessante é que todos falam de forma unânime que o produto vende muito bem, e que em muitas ocasiões o estoque do estabelecimento chega a zerar. É bem verdade que o sabor ainda tem uma certa distância das cervejas que contém álcool, mas está cada vez mais próximo de quem sabe igualar-se. É importante também frisar, e o consumidor deve estar sempre atento, que muitas cervejas que se dizem sem álcool, não necessariamente são realmente 0%. Algumas marcas possuem um valor muito reduzido, mas contêm sim, um pequeno percentual. E isso vem do artigo 66 do decreto de n 2.241, de 1997 que cervejas com menos de 0,5% são consideradas sem álcool, mas com o endurecimento da Lei Seca, que não permite mais quantidade mínimas de álcool no…

Compartilhe

Crowler…Uma tendência? (por Rivaldo Neto)

O mercado de cervejas está em franca expansão como todos sabemos. Super aquecido e com uma quantidade de estilos e rótulos para cervejeiro nenhum botar defeito. Vai das cervejas importadas, para as artesanais e caseiras. Com isso outras novidades surgem para cada vez mais incrementar esse rico nicho de consumidores entusiastas dessa tendência que apenas engatinha em terras brasileiras. No começo foi o growler, recipiente que contém em média dois litros e que os pubs cervejeiros dão um desconto médio de aproximadamente 15% para encher o recipiente e levá-lo pra casa e assim degustá-la no conforto do lar. Vai que agora surge uma novidade ainda mais interessante. Você já imaginou ir a pub cervejeiro, com as mais variadas serpentinas, provar os mais variados tipos e depois a que você mais gostar, mandar encher uma lata dessa cerveja e levar pra casa para bebê-la em outra ocasião? Pois é isso que…

Compartilhe

Levedura, a mágica da cerveja! (por Rivaldo Neto)

Levedura ou levedo de cerveja são microorganismos utilizados no processo de fermentação. Ambas as palavras vem de um termo latino “Lavare”, que significa “fazer crescer”. As primeiras leveduras descobertas estavam associadas à fermentação de pães e mostos. Esses processos desencadeiam a liberação de gás carbônico das bebidas alcoólicas. Elas tem o papel de transformar açúcar em álcool, tais fungos possuem a capacidade de divisão celular, e assim se auto-reproduzem, leveduras de cerveja tem um apetite voraz por líquidos doces. Algumas cepas de fermento produzem também ésteres que dão um acabamento a bebida. Basicamente existem dois tipos de levedura cervejeira. As de alta fermentação (ALE) e as de baixa fermentação (Lagers). Em cada grupo existem diversas cepas que possuem características particulares. Elas possuem esta nomenclatura pela forma como atuam. O fermento de alta fermentação flocula na parte superior do fermentador, enquanto o de baixa fermentação age mais no fundo. A temperatura…

Compartilhe

Divulgação

Os 6 passos de nossa cerveja de cada dia (por Rivaldo Neto)

A produção de cervejas vem ganhando diariamente cada vez mais rótulos e com isso invadindo o mercado e diversificando estilos e ganhando cada vez mais novos adeptos e amantes da bebida. Esse momento especial que vive o mercado se dá muito pela mudança de comportamento dos consumidores que ao se depararem com cervejas especiais, importadas, com melhores insumos e, consequentemente, fazendo com que nosso paladar fique mais apurado e exigente. Mas você sabe quais são os passos básicos para a produção de uma cerveja? São 6 passos que que vamos descrever abaixo para que nós, amantes da bebida possamos ter uma noção básica e assim conhecê-los. 1 – Maltagem: Antes de seguir para o processo de produção, os grãos passam por um outro processo que damos o nome de maltagem. O açúcar presente nos grãos serve de alimentos para as leveduras durante o processo de fermentação. Esses açúcares ficam presos…

Compartilhe

As curiosas cervejas africanas (por Rivaldo Neto)

Quando falamos de cervejas praticamente endereçamos o foco para as europeias, americanas e, logicamente, as nacionais artesanais de boa qualidade. Com isso, mercados e países que passaram a ser destaques na produção de vinhos, como é o caso da África do Sul, são deixados em segundo plano, tanto por importadores, quanto de nós consumidores e entusiastas da bebida. Tal “erro” não se justifica. E se na cartilha do cervejeiro o lema número 1 é variar, provar e experimentar. Países que não olhamos como grandes mercados produtores de cervejas passam a ter um importante papel na procura por rótulos até então desconhecidos por nós brasileiros. E foi justamente usando esse raciocínio que consegui três cervejas africanas muito interessantes. Mas realmente não foi fácil. Começando justamente pela África do Sul, onde a produção de cervejas é praticamente toda em cima da gigante SABMiller (South African Breweries). Ela praticamente domina o mercado do…

Compartilhe

contato

Os campos acima em destaque são necessários