Algomais Saúde

Jayme da Fonte realiza cirurgia de epilepsia inédita no NE

O Hospital Jayme da Fonte realizou sua primeira cirurgia para tratamento de epilepsia, utilizando a estimulação cerebral profunda. O procedimento, até então inédito no Nordeste, envolve a implantação de um eletrodo no cérebro. Esse eletrodo impede a propagação de impulsos elétricos a partes específicas do cérebro, para o tratamento de pacientes com epilepsia. Trata-se de uma cirurgia neurológica de ponta, que envolve alta tecnologia, neurociência e uma equipe de profissionais qualificados para realizar o procedimento dentro de um rigoroso protocolo. O neurocirugião Antonio Marco explica que a cirurgia de neuroestimulação altera a propagação dos estímulos cerebrais anormais: “Ela atua diretamente na atividade cerebral, de maneira controlada, e seus efeitos são reversíveis, diferentemente de outras técnicas utilizadas”, afirma o médico. Antes do procedimento, tudo é calculado e simulado através de um programa de computador e durante o processo o eletrodo é inserido de maneira minimamente invasiva no crânio do paciente, apenas…

Compartilhe

Cansaço, variação de humor? Pode ser a tireoide

A tireoide é uma das maiores e mais importantes glândulas do corpo humano e tem seu funcionamento despercebido no dia a dia. Até que uma hora começa a apresentar defeitos que atrapalham o metabolismo. É possível, no entanto, perceber no próprio corpo sinais que indicam que o mecanismo da glândula não está funcionando corretamente. Entretanto, os sinais que aparecem no corpo se diferem entre si, de acordo com o problema que afeta a glândula. São três com maior incidência: hipotireoidismo, o mais comum, em que a produção dos hormônios é menor do que o ideal; hipertireoidismo, em que essa produção é maior que o habitual; e os nódulos da tireoide, que podem ser malignos ou benignos e também podem alterar a produção dos hormônios. Quando a produção da tireoide cai - no caso do hipotireoidismo - o metabolismo consequentemente fica mais lento, e o corpo reage geralmente com sintomas que…

Compartilhe

Qual é o tipo da sua dor de cabeça?

A dor de cabeça é um sintoma que pode estar relacionado a mais de 200 doenças. Segundo a Sociedade Brasileira de Cefaleia, cerca de 95% da população apresentará, ao menos uma vez na vida, um episódio de cefaleia. Mais do que isso: 70% das mulheres e 50% dos homens apresentam ao menos uma dor de cabeça ao mês. Porém, poucas pessoas sabem diferenciar os diferentes tipos do problema. A cefaleia pode ser diferenciada de duas maneiras: primária e secundária. Na maioria dos casos, a primária é a que se manifesta sem se relacionar a nenhuma outra doença, e não há uma causa secundária para que a dor apareça, ela é a própria doença. “Pacientes com um histórico de dores recorrentes e que tenham as mesmas características geralmente apresentam um conjunto de sintomas que nos permite diagnosticar com precisão o problema, sem a necessidade de exames complementares”, explica o  Marcelo Calderaro,…

Compartilhe

Cuidado com as doenças de outono

Com o fim do verão, a instabilidade das temperaturas associada a fatores como poluição e permanência em ambientes fechados aumenta as chances de pessoas ficarem doentes. Por isso, crises de rinite, sinusite e amigdalite são mais comuns neste período, e o cuidado é fundamental, pois podem se agravar e causar uma complicação maior. Nas crianças, a atenção deve ser redobrada, uma vez que elas têm menor defesa imunológica e, muitas vezes, não conseguem explicar aos pais os sintomas. Outro ponto que deve ser levado em consideração é a automedicação, que, segundo a otorrinolaringologista da rede de centros médicos dr.consulta Samanta Dall’Agnese, pode agravar os casos e impedir que o paciente investigue mais a fundo o quadro de saúde para receber um tratamento adequado. “Não se atentar aos sintomas é sempre um risco. Uma pessoa que tem crise alérgica com importância, do tipo que interfere nas atividades do dia a dia,…

Compartilhe

Pixabay

Cresce o número de transplantes

A taxa de doadores de órgãos efetivos aumentou 5% no Brasil no ano passado, em comparação com 2015, mas continua abaixo da esperada. A informação faz parte de um levantamento estatístico sobre a realização de transplantes no país, divulgado na última quinta-feira (9) pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros, na sede da Academia Nacional de Medicina, no Rio. Segundo Barros, a recusa de doação de órgãos pela família ainda é um desafio para a expansão do serviço. "A cada ano, batemos novos recordes, mas em algumas modalidades de transplante temos cinco anos de fila de espera, cerca de 40% das famílias se recusam a fazer a doação dos órgão de parentes falecidos. Então, há um conjunto de medidas a tomar", disse Barros. "Para reduzir as filas, já que temos excelente infraestrutura de hospitais especializados em transplantes, precisamos fazer campanhas de conscientização para que as famílias autorizem a doação de órgãos,…

Compartilhe

Pixabay

Adulto também toma vacina

Grande parte dos brasileiros acredita que só é necessário se vacinar na infância. Mesmo com todo o calendário vacinal infantil em dia, as pessoas adultas não devem relaxar nos cuidados com a imunização, sob o risco de ficarem suscetíveis a doenças infecciosas que podem ameaçar a vida. As vacinas são poderosas armas de combate contra enfermidades causadas por vírus e bactérias e são primordiais, também, na vida adulta e na terceira idade. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 2 a 3 milhões de vidas por ano são poupadas devido à vacinação. O ato de se imunizar é uma questão de consciência coletiva, pois quanto mais pessoas são vacinadas, menos vírus e bactérias se propagam entre a população. Por ser uma área da medicina em constante mudança, há muitas dúvidas sobre como a imunização funciona e que tipos de vacinas cada indivíduo deve tomar, levando em conta sua idade e…

Compartilhe

Livre-se da dor na coluna

Se você alguma vez na vida já sofreu com dores nas costas, saiba que não está sozinho nesse martírio. Estatísticas comprovam que 94% da população algum dia vai se queixar dessa sensação dolorosa. Não por acaso, um estudo realizado nos Estados Unidos mostrou que os custos causados somente pela dor na região lombar (no final da coluna) chegam a assustadores US$ 90 bilhões, o que inclui gastos como terapias e afastamento no trabalho. A boa notícia é que o tratamento evoluiu muito nos últimos tempos a ponto de a cirurgia ser recomendável para apenas 0,5% dos casos. Mas, afinal, por que a dor na coluna vertebral é tão prevalente? Um dos motivos é que pagamos o preço pela nossa evolução, desde que o nosso antepassado Homo erectus ficou de pé. Na verdade, a coluna foi concebida para ficarmos em posição horizontal e mesmo quando há milhões de anos a espécie…

Compartilhe

Trabalho é o que mais afasta casais, revela pequisa

O trabalho pode acabar com a intimidade e atrapalhar a vida a dois. Segundo pesquisa do Instituto do Casal, mais de 40% dos entrevistados apontaram que a maior dedicação à vida profissional que ao casamento é a causa número um para o afastamento conjugal. Segundo Denise Miranda de Figueiredo, terapeuta de casal e uma das coordenadoras da pesquisa, vivemos uma realidade politica, social e econômica que tem exigido das pessoas um grau de dedicação e comprometimento com o trabalho que tem afetado as relações afetivas. “Hoje, segundo dados da Organização Mundial do Trabalho (OIT), mais de 33% dos profissionais que compõem o mercado de trabalho têm uma jornada de mais de 44 horas semanais e 19,1% trabalham mais de 48 horas semanais. Além disso, 87% das mulheres que trabalham fora realizam tarefas domésticas, ou seja, têm a chamada dupla jornada”, explica Denise. Para Marina Simas de Lima, terapeuta de casal e…

Compartilhe

Divulgação

Saiba quais são as principais lesões causadas pela corrida

A corrida é um dos esportes mais democráticos que existem, por isso, também é a primeira escolha de quem quer perder peso. Para praticá-la, não é preciso fazer grandes investimentos, ou ir até um lugar específico, mas, apesar dessas facilidades, a corrida, assim como qualquer outro esporte exige orientação e acompanhamento de um profissional. “Praticar qualquer esporte sem o devido acompanhamento pode trazer prejuízos diversos para o esportista. No caso da corrida, as áreas do corpo mais afetadas são os joelhos, pernas, pés, tornozelos e coluna”, alerta o Dr. Nemi Sabeh Junior, coordenador do Centro Avançado de Medicina do Esporte, do Hospital Samaritano de São Paulo. O especialista explica que existem dois tipos de lesões. As lesões por sobrecarga são as mais frequentes nos corredores. “Normalmente, este tipo de problema ocorre por treino excessivo e sem preparo, falta de descanso e também a falta de força”, alerta o Dr. Nemi.…

Compartilhe

contato

Os campos acima em destaque são necessários